As bandas de rock internacional que amam o Brasil

1990, 1993, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2017 –  e agora 2019: Paul McCartney mais uma vez incluiu o Brasil em sua agenda de shows, esta foi a sétima passagem por aqui em menos de uma década – número que surpreende ainda mais se você pensar que o ex-Beatles fará 77 anos em junho, dando inveja em outras bandas de rock internacional que curtem o país.

Mas não são apenas os shows do Paul McCartney que têm acontecido quase anualmente no país. Uma série de bandas e músicos internacionais seguem o mesmo ritmo do cantor, mostrando-se apaixonados pelo receptivo e alegre público brasileiro.

Separamos algumas delas abaixo e lembramos shows históricos das bandas de rock internacional que mais amam o povo brasileiro.

Red Hot Chilli Peppers (8 vezes no Brasil)

Você já imaginou se deparar com um sofisticado jam do funk-rock americano mesclado com o samba brasileiro em um show do Red Hot Chilli Peppers?! Essa foi a surpresa de quem acompanhou um dos shows da banda californiana – este, especificamente, em 2013 na capital paulista. Em parceria com Mauro Refosco, percussionista brasileiro, o baixista Flea e o vocalista Anthony Kiedis se divertiram com a junção da musicalidade nacional aos seus sucessos históricos, incluindo a brasileiríssima batida do funk na apresentação – algo único e inesquecível para os 34 mil fanáticos que acompanharam tudo na Arena Anhembi.

Foo Fighters (5 vezes no Brasil)

Após estrear em 2001 abrindo espaço para o R.E.M no Rock in Rio, o Foo Fighters deslanchou em sua carreira internacional. Sua volta, porém, aconteceu apenas em 2012, e não é arriscado apontar esse retorno como a fonte da tamanha paixão entre Foo Fighters e brasileiros: a banda não só foi headliner do primeiro Lollapalooza da história do país, como fechou o 7 de abril daquele ano com um show histórico de duas horas e meia no Jockey Club de São Paulo, trazendo o melhor de seu rock and roll nos sucessos Everlong, Times like These e Best of You

Metallica (9 vezes no Brasil)

Esses são velhos conhecidos do público brasileiro. Em 2019 o Metallica completa nada menos que 30 anos de sua estreia no Brasil – foi em 1989, em um Ginásio do Ibirapuera lotado e antes mesmo do ex-Beatles Paul aparecer por aqui. Depois disso, dois shows em 20 anos antes do grupo heavy metal estourar, de vez, no país. Era 2010. Um Morumbi lotado, onde nada do gramado verde era visível sob o mar de camisas pretas dos fãs, foi o palco perfeito para o estrondoso retorno da banda, com riffs afinadíssimos, espetáculos pirotécnicos e uma disposição de sobra para marcar a vida dos 68 mil presentes no estádio.

Franz Ferdinand (8 vezes no país)

“Pouco conhecidos no Brasil, Franz Ferdinand conquista platéia com ‘Take me Out’ e energia”: foi assim que um grande portal de notícias brasileiro destacou o início da trajetória da banda de rock escocesa no Brasil, em 2006. Não é exagero dizer que sua estreia no Morumbi, abrindo show do U2, escancarou as portas brasileiras para a trajetória de sete turnês no país: foram 50 minutos de um rock que fez os esqueletos pularem, mesmo diante de um público pouco familiarizado com os ainda recentes discos do grupo. Mais de uma década depois, reina o ditado sobre a banda: “Nunca houve um show ruim do Franz Ferdinand”. Se é verdade ou não, é outra história.

Guns N’ Roses (8 vezes no Brasil)

Para o já histórico Guns N’ Roses, nada mais justo do que lembrar sua estreia histórica no Brasil, ‘humildemente’ como a banda principal do line up do Rock in Rio 1991, o maior festival de música do país que garantiu um representante de peso do rock internacional. Quase três décadas depois, finalmente um show fez frente a isso. Foram trinta músicas em três horas e meia de show no Rock in Rio 2017. Foi gigante. E o melhor: a banda internacional contou tanto com a presença tanto do guitarrista Slash quanto do baixista Duff McKagan, algo que não acontecia no festival carioca desde 91, já que ambos tiveram idas e vindas na banda.