Quando uma empresa organiza um evento, além de esperar que os participantes gostem do conteúdo, também é preciso criar experiências que engajem e encantem o público durante todo o tempo que passarão ali. O marketing de experiência já faz parte do mundo corporativo, até porque será ele o responsável para que seu evento se torne inesquecível, mas como abandonar o método monótono de eventos em que os convidados passam horas sentados assistindo a um palestrante falar sem parar?

Como planejar experiências

Conversamos com Mayra Benetti, dona da empresa TWOB eventos, que fala sobre a importância da conexão do evento com o público: “Um organizador deve entender o que está buscando e tentar oferecer uma experiência única que seja inovadora. Aqui vale usar e abusar da criatividade. Pode ser uma ação simples, mas os detalhes precisam gerar curiosidade e instigar o público. Regra fundamental: a ação deve estar alinhada com o evento, ser complemento dele, pertencer e oferecer pertencimento”.

Eventos diferentes devem oferecer tipos diferentes de experiências, por isso é tão importante entender o perfil dos participantes: “Cada evento tem um grupo de stakeholders e portanto precisa ser pensado de forma exclusiva. Eventos têm objetivos diferentes e exigem, com isso, entregas diferentes. Além do mais, o local, duração e verba influenciam diretamente no marketing de experiência que podemos criar. Lembrando sempre que o evento significa eventualidade e precisamos estar prontos para todas elas e as ações não fogem à regra’, explica Mayra.  

Como tornar o evento inesquecível com marketing de experiência

É fato que uma experiência única pode fazer com o que o evento seja marcante. As experiências devem traduzir as diretrizes do acontecimento, proporcionando vivências únicas ao público. O marketing de experiência marca, gera relevância e interação. Tem coisa melhor do que sair de um evento com aquele gostinho de “quero mais”? Esperando o próximo? Ou ainda de sentir-se privilegiado por ter sido convidado para tal?

Como fazer com que as pessoas participem das ações interativas? A organizadora de eventos acredita que o primeiro passo é a ação estar bem alinhada com o evento como um todo. “Depois disso, num segundo momento, temos que encontrar estratégias para despertar o interesse do público, mas não tem uma fórmula. Pode ser com a cenografia, com uma ação interativa, com a participação de promotores por exemplo, uma promoção, um brinde, um aplicativo… O segredo é compreender muito bem o seu público, pois assim podemos entregar algo que ele esteja buscando, algo que será natural. Sem esquecer, claro, que as redes sociais são plataformas obrigatória antes, durante e depois do evento”.

Como surpreender o público

Agradar muitas pessoas ao mesmo tempo pode parecer uma tarefa complicada, por isso é preciso estar de olho em tudo que acontece, o que já está sendo feito e, com essas informações, você consegue desenvolver ideias criativas. Aqui o segredo é juntar o máximo de pessoas da equipe para pensar, mesmo que sejam sugestões soltas. Um time unido consegue refletir muito melhor do que uma pessoa só.

“Para entregar experiências únicas e inovadoras, você deve estar antenado no mercado e na concorrência. Pensar nos mínimos detalhes também é fundamental. O público deve vivenciar a experiência do início ao término do evento. Tem que ser agradável e relevante. Procuramos novidades e “coisas” que nos representem. Quando entendemos isso e pensamos “fora da caixinha” já temos meio caminho andado”, conta Mayra.

Leia mais: Ideias de inauguração: como criar um evento inesquecível

A gastronomia como parte da experiência  

Já que falamos sobre experiências físicas e sensoriais, que tal dar foco para a gastronomia no seu evento? Sim, ela também faz parte de um evento de sucesso: “Um evento deve trabalhar digamos os cinco sentidos (a visão, o olfato, o paladar, a audição e o tato). Experiências são criadas através de um conjunto de fatores e o buffet deve traduzir um pouco disso”, conta a empresária. “Por exemplo, se for um evento mais curto não adianta um menu muito extenso ou se for um evento como uma premiação mais requintada cabe trabalhar um menu diferenciado. As possibilidades são enormes, então porque não explorá-las?”.

Experiências no pós-evento

Acabou o evento, e agora? O pós também é essencial para fidelizar o público, já que as pessoas saíram de lá com uma imagem positiva. É hora de aproveitar a oportunidade para continuar o relacionamento e criar um laço de confiança e duradoura, até mesmo com seus clientes, aqueles que os contrataram para a concretização do evento.

“A fidelização está diretamente relacionada com a experiência que o evento oferece e aí estamos falando do todo (antes, durante e depois). O pós é só a cereja do bolo. O gostinho de quero mais, trabalhar o “agradecimento” através da personalização é um bom aliado. Todos querem pertencer aquilo que viveram. Querem ter o que contar aos outros e dividir com quem foi ou quem não participou do evento”, finaliza Mayra.