Assim que um evento é lançado — principalmente aqueles que contam com diversas palestras no decorrer do dia — a primeira coisa que fazemos é procurar saber quem são os palestrantes e quais assuntos eles irão abordar. 

Há alguns anos, os eventos eram repletos de nomes masculinos em suas programações, e o fato de ter uma mulher no palco compartilhando as suas experiências com dezenas de homens era, no mínimo, incomum. O papel feminino em eventos era muito claro: ou as mulheres estavam na plateia — em um pequeno número — ou no backstage.

Felizmente, esse cenário não faz mais parte do universo de eventos e é crescente o número de mulheres liderando programas de conferências ao redor do mundo, embora saibamos que no Brasil ainda podemos evoluir muito mais. 

Muitas empresas já possuem mulheres extremamente inteligentes e competentes ocupando cargos de liderança em áreas que, até pouco tempo atrás, eram predominantemente masculinas.

O fato é que as pessoas querem ouvi-las, conhecer as suas trajetórias, entender as suas visões de mundo, de mercado e, por isso, elas estão recebendo convites para palestrar em eventos dos mais variados segmentos.

Além disso, o público feminino — cada vez mais presente nas plateias de conferências — está mais exigente, empoderado e faz questão de ouvir outras vozes femininas, afinal, a realidade do mercado em relação às mulheres mudou e, sendo assim, as palestras também devem acompanhar essas mudanças. 

Filósofas, cientistas, empreendedoras, sociólogas, médicas, ativistas e personalidades lotam plateias por onde passam e compartilham experiências que são capazes de mudar antigos conceitos e a forma como enxergamos o mundo.  

Preparado para conhecer algumas delas? Vamos lá…  

1. Suzana Herculano Houzel

Neurocientista, Suzana é conhecida por seu trabalho de divulgação científica. Graduada em biologia, possui mestrado, doutorado e pós-doutorado em neurociência. É professora universitária, escreveu diversos artigos, livros e participou de programas de TV.
Em “O que o cérebro humano tem de tão especial?”, Suzana leva os espectadores à  uma viagem interna e ajuda-os a entender alguns enigmas da mente. 

2. Nátaly Neri

Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo – EFLCH, Nataly dedica-se ao estudo da educação crítica com recorte étnico-racial, além de atuar em um programa de pesquisa sobre docência e formação de professores (PIBID), que a coloca diretamente em contato com a educação pública no Brasil. Em “A Mulata que nunca chegou lá”, Nataly fala sobre racismo, estigmatização e todas as formas de sexualização e preconceito que uma mulher sofre por ser negra.

3. Taís Araújo

Taís foi a primeira atriz negra a ser protagonista de uma novela no Brasil. Por esse trabalho, tornou-se conhecida internacionalmente e foi eleita um dos 50 rostos mais lindos do mundo pela revista People.
No vídeo “Como criar crianças doces em um País ácido”, a atriz e apresentadora fala sobre o desafio de criar filhos no Brasil de hoje.

4. Jurema Werneck

Médica por formação, Jurema é diretora da Anistia Internacional no Brasil. Em “O Futuro do Futuro” ela, que é ativista desde a infância, usa referências da ficção científica para falar como lidamos com o presente — e como a nossa noção de futuro é equivocada.

5. Ana Claudia Quintana Arantes

Além de ser uma médica formada pela FMUSP e especialista em Cuidados Paliativos pelo Instituto Pallium e Universidade de Oxford, Ana também é pós-graduada em Intervenções em Luto.

Em sua palestra “A morte é um dia que vale a pena viver”, Ana fala sobre a missão de aliviar o sofrimento de doentes e familiares e também da necessidade de resgatar a biografia de seus pacientes.  

Com base nestes 5 ótimos exemplos, fica claro que as empresas que organizam eventos e palestras precisam estar mais atentas com a possibilidade de incluir mulheres em suas programações, pois — além da oportunidade de enriquecimento do conteúdo — elas estão muito mais participativas, questionadoras e, principalmente, atualizadas, portanto, incluí-las em suas grades de palestras poderá fazer uma enorme diferença.

LEIA MAIS: Conheça 3 mulheres incríveis que organizam eventos em São Paulo