R$10

15/02 - SHOW DAS 22H | PRÉ-FERIADO: CORES DE AIDÊ NO ESTÚDIO BIXIGA

Informações do evento

Compartilhar este evento

Data e hora

Localização

Localização

Estúdio Bixiga

Treze de Maio 825

São Paulo, SP 01327000

Brazil

Ver mapa

Política de reembolso

Política de reembolso

Reembolsos até 1 dia antes do evento

Descrição do evento
O espetáculo valoriza a diversidade e o protagonismo feminino, com canções autorais e referências em grandes artistas do samba-reggae!

Sobre este evento

Cores de Aidê surge, em 2015, no cenário artístico de Florianópolis (SC), por meio da concretização de um sonho antigo de Sarah Massí, regente e percussionista do grupo, que pretendia formar uma banda de samba reggae reunindo as mulheres em seu entorno.

Ao longo de sua existência, o grupo agregou mulheres diversas em seus percursos, estéticas, vivências e gerações por meio da percussão, fazendo-as convergir na compreensão da potência artística e política do samba reggae e na construção coletiva da identidade conceitual, das composições autorais do repertório, figurino, coreografia e arranjos de vozes.

A percepção de um meio percussivo hegemonicamente masculino no cenário musical do Brasil, especialmente no samba reggae, torna a proposta de uma formação de mulheres estrategicamente transgressora e provocativa, uma vez que, por meio dos seus tambores, fazem suas vozes ecoarem e serem ouvidas. É também por meio do samba reggae que as Cores de Aidê vislumbram um caminho possível de se posicionar artístico-politicamente no sul do país.

Mas por que “Cores de Aidê”? A banda revela a sua identidade e a intencionalidade do grupo já na escolha do nome: Aidê é uma figura mitológica que aparece nos cânticos de capoeira do Brasil e conta que ela era uma negra africana, traficada no período escravocrata, e seu senhorzinho se apaixona por ela, oferecendo “liberdade”, caso ela se case com ele. Aidê se recusa e foge para o quilombo de Camugerê, onde encontra os negros e negras irmãs e descobre o verdadeiro amor. Por meio dela, nos vemos representadas por não monetizarmos nossos afetos, não capitalizarmos nossos valores e posicionamentos, compreendendo que a liberdade está com as nossas e por meio da liberdade de todas e com todas.

O termo “Cores” também é acionado de modo provocativo e reflexivo, intencionalmente, uma vez que as cores simbolizam exclusões quando definimos “cores de menina” e “cores de menino”. E também quando definimos a cor de pele da “beleza padrão”. Então, ter em sua composição mulheres de grupos étnicos diversos, orientações sexuais, idades, classes e discursos que nem sempre são homogêneos proporcionam um ambiente constante de troca e escuta, nem sempre suave, mas com muito respeito e crescimento.

A banda quer, por meio da percussão e do samba reggae, emancipar as mulheres, fortalecendo a autoestima e a compreensão identitária, bem como ressignificar corpos pela música e pela dança afro-brasileira. E reforçar que as mulheres podem e devem estar onde quiserem, uma vez que transgridem meio percussivo incluindo mulheres com diferentes corpos, idades, etnias, classes sociais, orientações sexuais, religiões e origens diversas, deslocando o padrão hegemonicamente masculino desse nicho musical para torná-lo mais democrático de fato.

O espetáculo valoriza a diversidade e o protagonismo feminino, com canções autorais e referências em grandes artistas do samba-reggae, como Olodum, Ilê Aiyê, Cortejo Afro, Didá, Muzenza, entre outros. No palco, o grupo conta com um conjunto percussivo composto por instrumentos de fundo, repique, caixa/tarol, surdo marcação, surdo contra-tempo e xequerê que, por meio de levadas rítmicas, sustentam as canções.

A apresentação cênica conta ainda com performances inspiradas nas movimentações de danças afrobrasileiras, respeitando as diversas corporeidades. As vozes são conduzidas por vocalistas que se revezam para compor uma harmonia que se conecte com os sons dos tambores e a linguagem corporal proposta pelas músicas. No repertório, composições autorais e temas das rodas de conversa contemplam debates sobre mulheres, estudos de gênero e relações raciais.

--

Abertura da casa: 21h

.:: Entrada

R$10 _ antecipado

R$20 _ porta

.:: Ingressos antecipados:

.:: Compre seu ingresso pessoalmente sem taxas de conveniência: Lab Mundo Pensante (Rua Treze de Maio, 733 - Bela Vista - São Paulo - SP), de segunda a sexta, das 14h às 22h

.:: Proibida a entrada de menores de 18 anos

.:: Aceitamos dinheiro e cartões de débito e crédito

*No dia do evento é necessário apresentar RG na porta.

**Casa sujeita a lotação.

--

Estúdio Bixiga

Rua Treze de Maio, 825 - Bela Vista - São Paulo - SP

Tel:. 50822657

www.mundopensante.com.br

--

Curta nossa fanpage e receba atualizações: https://www.facebook.com/estudiobixiga

Compartilhar com amigos

Data e hora

Localização

Estúdio Bixiga

Treze de Maio 825

São Paulo, SP 01327000

Brazil

Ver mapa

Política de reembolso

Reembolsos até 1 dia antes do evento

Salvar este evento

Evento salvo