CURSO CONCILIAÇÃO JUDICIAL CNJ 125/2010 E MEDIAÇÃO EXTRAJUDICIAL PRIVADA

Informações do evento

Compartilhar este evento

Data e hora

Localização

Localização

Centromediar- Fipecafi

1170 Rua Maestro Cardim

São Paulo, SP 01323001

Brazil

Ver mapa

Descrição do evento
DUPLA CERTIFICAÇÃO - CURSO ONLINE E PRÁTICO NOS TRIBUNAIS

Sobre este evento

PÚBLICO

Podem participar todos os interessados em construir os conhecimentos e competências necessárias para atuação em conflitos e ruídos na comunicação interpessoal:

Profissionais de qualquer área do conhecimento: Estudantes, Professores, Advogados, Psicólogos, Médicos, Engenheiros, Administradores, Assistentes Sociais, Juízes Desembargadores, entre outros. Valorizamos a diversidade, a multidisciplinaridade e a inclusão. Para a Mediação não há fronteiras que impeçam a realização pessoal!

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO GERAL - CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA

40 HORAS TEÓRICAS ONLINE - EAD

PANORAMA HISTÓRICO DA MEDIAÇÃO E DA CONCILIAÇÃO

Panorama histórico dos métodos consensuais de solução de conflitos. Deontologia do mediador. Psicologia e tratamento das pessoas com relação aos aspectos da ética, do humanismo e da espiritualidade. Legislação brasileira. Projetos de Lei. Lei dos Juizados Especiais. Resolução CNJ n. 125/2010. Novo Código de Processo Civil. Lei de Mediação

POLÍTICA NACIONAL DE TRATAMENTO ADEQUADO DE CONFLITOS

Política Judiciária Nacional de tratamento adequado de conflitos. Objetivos: acesso à justiça, mudança de mentalidade, qualidade do serviço de conciliadores e mediadores. Estruturação – CNJ, Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos e Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania. A audiência de conciliação e mediação do novo Código de Processo Civil. Capacitação e remuneração de conciliadores e mediadores.

CULTURA DA PAZ E MÉTODOS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS

Cultura da Paz e Métodos de Solução de Conflitos. Panorama nacional e internacional. Autocomposição e Heterocomposição. Prisma (ou espectro) de processos de resolução de disputas: negociação, conciliação, mediação, arbitragem, processo judicial e processos híbridos.

TEORIA DOS JOGOS

Dinâmica O Dilema do Prisioneiro e Uma Mente Brilhante: Exemplo Clássico e vivenciado em sala através de exercícios práticos. E uma àrea da pesquisa que tenta modelar o comportamento das pessoas numa rede de tensão. Ramo de estudos liderado por John Forbes e John Nash- Prêmio Nobel.

TEORIA DA COMUNICAÇÃO

Teoria da Comunicação. Axiomas da comunicação. Comunicação verbal e não verbal. Escuta ativa. Comunicação nas pautas de interação e no estudo do inter-relacionamento humano: aspectos sociológicos e aspectos psicológicos. Premissas conceituais da autocomposição.

MODERNA TEORIA DO CONFLITO

Moderna Teoria do Conflito. Conceito e estrutura. Aspectos objetivos e subjetivos.

NEGOCIAÇÃO: TÉCNICAS E ESTRATÉGIAS

Negociação. Conceito: integração e distribuição do valor das negociações. Técnicas básicas de negociação (a barganha de posições; a separação de pessoas de problemas; concentração em interesses; desenvolvimento de opções de ganho mútuo; critérios objetivos; melhor alternativa para acordos negociados). Técnicas intermediárias de negociação (estratégias de estabelecimento de rapport; transformação de adversários em parceiros; comunicação efetiva).

CONCILIAÇÃO: CONCEITO E FILOSOFIA. JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL

Conciliação. Conceito e filosofia. Conciliação judicial e extrajudicial. Técnicas (recontextualização, identificação das propostas implícitas, afago, escuta ativa, espelhamento, produção de opção, acondicionamento das questões e interesses das partes, teste de realidade). Finalização da conciliação. Formalização do acordo. Dados essenciais do termo de conciliação (qualificação das partes, número de identificação, natureza do conflito). Redação do acordo: requisitos mínimos e exequibilidade. Encaminhamentos e estatística. Etapas (planejamento da sessão, apresentação ou abertura, esclarecimentos ou investigação das propostas das partes, criação de opções, escolha da opção, lavratura do acordo).

MEDIAÇÃO: DEFINIÇÃO E CONCEITUALIZAÇÃO

Mediação. Definição e conceitualização. Conceito e filosofia. Mediação judicial e extrajudicial, prévia e incidental; Mediação (acolhida, declaração inicial das partes, planejamento, esclarecimentos dos interesses ocultos e negociação do acordo). Técnicas ou ferramentas (comediação, recontextualização, identificação das propostas implícitas, formas de perguntas, escuta ativa, produção de opção, acondicionamento das questões e interesses das partes, teste de realidade ou reflexão).

ÁREAS DE UTILIZAÇÃO DA CONCILIAÇÃO E DA MEDIAÇÃO

Áreas de utilização da conciliação/mediação. Empresarial, familiar, civil (consumerista, trabalhista, previdenciária etc.), penal e justiça restaurativa; o envolvimento com outras áreas do conhecimento.

INTERDISCIPLINARIDADE DA MEDIAÇÃO

Interdisciplinaridade da mediação. Conceitos das diferentes áreas do conhecimento que sustentam a prática: sociologia, psicologia, antropologia e direito.

O PAPEL DO CONCILIADOR E DO MEDIADOR

O papel do conciliador/mediador e sua relação com os envolvidos (ou agentes) na conciliação e na mediação. Os operadores do direito (o magistrado, o promotor, o advogado, o defensor público etc.) e a conciliação/mediação. Técnicas para estimular advogados a atuarem de forma eficiente na conciliação/mediação. Contornando as dificuldades: situações de desequilíbrio, descontrole emocional, embriaguez, desrespeito.

ÉTICA DE MEDIADORES E CONCILIADORES

Ética de conciliadores e mediadores. Deontologia. O terceiro facilitador; funções, postura, atribuições, limites de atuação. Código de Ética – Resolução CNJ n. 125/2010.

71 HORAS DE CONTEÚDOS EXTRAS NA BIBLIOTECA VIRTUAL PARA SUAS MEDIAÇÕES E CONCILIAÇÕES AVANÇADAS

DECLARAÇÃO E ABERTURA NA MEDIAÇÃO E CONCILIAÇÃO

TÉCNICAS E HABILIDADES PARA FAZER PERGUNTAS DE QUALIDADE

CNV- COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA: OS SENTIMENTOS

MANUAL DE MEDIAÇÃO E CONCILIAÇÃO JUDICIAL CNJ - 379 PÁGINAS

ARTIGOS E PRODUÇÕES DA DOUTRINA:

A Negociação na Mediação de Conflitos

A Teoria dos Jogos

Axiomas da Comunicação

Escolas e “modelos” de Mediação

Escuta Ativa e Perguntas

Escutatória

Introdução Histórica e Modelos de Mediação

Mapeando a Mediação – Os Riscos Do Gráfico De Riskin

Técnicas da Mediação

Teoria dos Jogos – Guga Chacra

O princípio da decisão informada na mediação

A Necessidade da Preparação do Advogado para o avanço da Mediação no Brasil

VÍDEOS:

Habitantes – Aula da Teoria do Conflito

Resolution Through Mediation: Solving a Complex International Business Problem

A Oficina- Sessao de Mediacao CNJ para Iniciantes

14 Anos Depois- CNJ para Iniciantes

Alienação Parental- A Morte Inventada

Conflito no Supermercado- Mulheres de TPM

Conflito e Confronto – Cortella

Declaração de Abertura- Dicas

Uma mente brilhante- Teoria dos Jogos

O Dilema do Prisioneiro – Teoria dos Jogos

O Poder da Vulnerabilidade- Reduzindo o Stress

A Linguagem Molda Quem Você É- Oratória

O Poder dos Tímidos

Marshall Rosenberg – CNV

LEGISLAÇÃO SOBRE A MEDIAÇÃO E CONCILIAÇÃO:

Lei da Mediação 13140

Mediação Trabalhista – Resolução CSJT Nº 174

Resolução 125 – 2010 CNJ

SUPORTE RELATÓRIO TEÓRICO - CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA CNJ

SUPORTE ESTÁGIOS PRÁTICOS NO TRIBUNAL:

Resumo das Técnicas que devem ser observadas para a elaboração dos Relatórios

Relatório de Controle de Horas

Relatório de Observação e Mediação

Como implementar a Recontextualização

Relação de Endereços dos Cejusc – mais de 250

Estágios Práticos – Orientações

Relatório de Observação – Exemplos

Regras de Envio de Relatório Estágios

TERMOS E CONTRATOS - MEDIAÇÃO EXTRAJUDICIAL

O que Saber sobre Abertura de Câmaras Privadas de Mediação – Provimento TJSP

Carta Convite para Mediação

Termo Inicial de Mediação

Termos de Compromisso de Confidencialidade

TJSP - MATERIAIS DE APOIO

Remuneração: Orientações Resolução 809-19

Câmaras Privadas de Conciliação e Mediação

Configuração Sala de Audiência

Curso de Gestão – Cejusc

Endereços Cejusc

Formulário de Satisfação – Advogados

Formulário de Satisfação – Partes

Formulário de Satisfação – Preposto

Funcionalidades do Sistema – SAJ

Guia Prático – Internet

Roteiro de Cadastro – Modelos Grupo Sitema SAJ

Utilização Sistema SAJ Digital

LINKS E ACESSOS ÚTEIS PARA MEDIADORES E CONCILIADORES

CNJ – Cadastro Nacional de Mediadores

Cadastros Auxiliares da Justiça – TJ/SP

Estatísticas – TJ/SP

Centromediar – Site

Blog – Centromediar

Blog – Mediando por aí

Mediate

Conima

Mediation

METODOLOGIA

Adotamos o modelo Behaviorista Conectivista como fundamento didático de ensino: uso de reforço positivo e negativos como avaliação por participação e discussões na plataforma online.

Aprendizado em comunidade: o aprender colaborativamente; a formação de conexões com demais pessoas ou redes de relacionamentos como atividade essencial para a aprendizagem, como a apresentação/exposição dissertativas e interação com supervisores de estágios e busca da elucidação das dúvidas com tutores e professores de cada disciplina. Escola dispõem de aulas presenciais no curso regular em datas especificas para o reforço de temas que o aluno necessite aprimorar.

RELATÓRIO TEÓRICO - MÓDULO EAD

Nota mínima de 7,0.

Critérios: Entrega em até 30 dias após o final do curso Teórico EAD.

Conter 20 páginas no mínimo com os seguintes temas de seu curso :

1- Dissertar sobre políticas públicas;

2- Dissertar sobre a Legislação atual -mediação e conciliação;

3- Falar sobre os métodos alternativos de conflito;

4- Breve história da Mediação no Mundo;

5- Breve história da Mediação no Brasil;

6- Escolas e Modelos de Mediação;

7- Falar sobre a teoria dos jogos (cooperação)- Nash

8- Falar sobre o Conflito;

9- Descrever o gráfico de Leonardo Riskin;

10- Negociação;

11- Ambiente na mediação;

12- Partes na Conciliação e Mediação;

13- Quais são as técnicas usadas conciliação e na mediação;

14- Quais são as etapas da conciliação e mediação;

15- Descrever as 12 Ferramentas;

16- Falar sobre os princípios éticos;

17- O Acordo;

18- Como tratar o advogado na mediação;

19- Estatísticas CNJ- Conselho Nacional de Justiça;

20- Sua Declaração de Abertura Eficaz (narrativa).

A parte teórica de 40 horas informadas acima no início desta página devem ser concluídas em até 90 dias a contar da data de inscrição. Após a fase teórica fundamentada em relatório informado acima, o aluno iniciará os estágios e terá até 12 meses para conclusão e certificação.

Orientação de acordo com a Resolução 125/2010 do CNJ e Enfam- Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Mais informações disponíveis no contrato de prestação de serviços educacionais- Capacitação de Mediadores e Conciliadores pela Resolução 125/2010 do CNJ disponível no botão abaixo.

Compartilhar com amigos

Data e hora

Localização

Centromediar- Fipecafi

1170 Rua Maestro Cardim

São Paulo, SP 01323001

Brazil

Ver mapa

Salvar este evento

Evento salvo