Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação

O IPTI é uma instituição privada, sem fins lucrativos, fundada em 2003 com o objetivo de desenvolver inovações tecnológicas de interesse social. Em 2009, o IPTI mudou sua sede para o município de Santa Luzia do Itanhy, localizado no sul de Sergipe, para expandir as possibilidades de cumprir sua missão, pois está inserido em uma região de extrema pobreza. Em abril de 2010, o instituto foi qualificado como Organização Social pelo Governo de Sergipe.

Desde a sua fundação, o IPTI estabeleceu parcerias com várias organizações nacionais e internacionais, como UNESCO, Comissão Europeia, Banco Interamericano de Desenvolvimento, SEBRAE, SESI, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Ministério do Turismo, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Organização Pan- Americana da Saúde, Banco do Nordeste, Instituto OI Futuro, AMBEV, Fundação Brasil, entre outros. Desde 2013, as contas da organização são auditadas pela Baker Tilly Brasil e, mais recentemente, pela BDO.

Em 2013, o IPTI ganhou o Prêmio FINEP de Inovação, na categoria Instituição de Ciência e Tecnologia, na região nordeste. Além disso, o IPTI também ganhou a Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, em 2013, pela tecnologia Hb, de combate à anemia por deficiência de ferro nas escolas, e o Prêmio Brasil Criativo, concedido pelo Ministério da Cultura, para o projeto Cultura em Foco, que integra técnicas contemporâneas de artesanato de design, em 2012. Em meados de 2017, o IPTI foi selecionado como uma das 100 melhores ONGs do Brasil, em um processo de seleção da Revista Época e do Instituto DOAR, tendo como critério a qualidade em gestão e transparência. Em 2019, o IPTI foi finalista da Fundação Banco do Brasil para Tecnologia Social, com a tecnologia social CLOC. Em 2020 o IPTI foi um dos quatro finalistas no Prêmio UBS Visionaris ao Empreendedor Social.

O IPTI é uma instituição privada, sem fins lucrativos, fundada em 2003 com o objetivo de desenvolver inovações tecnológicas de interesse social. Em 2009, o IPTI mudou sua sede para o município de Santa Luzia do Itanhy, localizado no sul de Sergipe, para expandir as possibilidades de cumprir sua missão, pois está inserido em uma região de extrema pobreza. Em abril de 2010, o instituto foi qualificado como Organização Social pelo Governo de Sergipe.

Desde a sua fundação, o IPTI estabeleceu parcerias com várias organizações nacionais e internacionais, como UNESCO, Comissão Europeia, Banco Interamericano de Desenvolvimento, SEBRAE, SESI, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Ministério do Turismo, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Organização Pan- Americana da Saúde, Banco do Nordeste, Instituto OI Futuro, AMBEV, Fundação Brasil, entre outros. Desde 2013, as contas da organização são auditadas pela Baker Tilly Brasil e, mais recentemente, pela BDO.

Em 2013, o IPTI ganhou o Prêmio FINEP de Inovação, na categoria Instituição de Ciência e Tecnologia, na região nordeste. Além disso, o IPTI também ganhou a Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, em 2013, pela tecnologia Hb, de combate à anemia por deficiência de ferro nas escolas, e o Prêmio Brasil Criativo, concedido pelo Ministério da Cultura, para o projeto Cultura em Foco, que integra técnicas contemporâneas de artesanato de design, em 2012. Em meados de 2017, o IPTI foi selecionado como uma das 100 melhores ONGs do Brasil, em um processo de seleção da Revista Época e do Instituto DOAR, tendo como critério a qualidade em gestão e transparência. Em 2019, o IPTI foi finalista da Fundação Banco do Brasil para Tecnologia Social, com a tecnologia social CLOC. Em 2020 o IPTI foi um dos quatro finalistas no Prêmio UBS Visionaris ao Empreendedor Social.

Eventos

Lamentamos, não há eventos futuros